O que é teleducação e como funciona?

O que é teleducação e como funciona?

A ameaça representada pelo novo coronavírus significa que as Instituições de Ensino e os educadores em todo o mundo estão procurando as melhores maneiras de continuar a apoiar a aprendizagem dos alunos fora da escola tradicional ou do ambiente da primeira infância.

Isso quer dizer que muitos estão buscando soluções como a aprendizagem online ou  educação em grande escala.

Existem inúmeros novos recursos e práticas recomendadas sobre como fornecer educação à distância, incluindo um foco no que os alunos e pais devem fazer para aproveitar ao máximo o aprendizado remoto. Muitos desses guias são úteis, no entanto, alguns recursos são baseados em pouco mais do que opiniões.

Este conteúdo identifica evidências para orientar os profissionais da educação na configuração do aprendizado online e conselhos que os professores podem dar aos alunos e pais durante esse processo. A principal consideração é dada aos princípios demonstrados para beneficiar os resultados e o bem-estar dos alunos.

Então, quer saber mais sobre o que é teleducação e como funciona? Confira o conteúdo que preparamos para você!

O que é a teleducação?

O que é a teleducação?

Os educadores são profissionais especialistas com habilidades motivacionais para envolver alunos relutantes, em ambientes individuais, de pequenos grupos e de toda a classe.

Da mesma forma, a cultura escolar é caracterizada pela rotina para os alunos – como, um horário específico para começar, fazer pausas e concluir certas atividades. Infelizmente, existe o risco de que as lacunas de desempenho dos alunos possam aumentar durante esse período se o aprendizado em casa for mal executado. Portanto, é fundamental que professores alunos e pais trabalhem juntos para implementar soluções práticas e baseadas em evidências para os desafios colocados pela pandemia.

O ensino à distância é um equilíbrio complexo de conteúdo online e interação com conteúdo que é apresentado na tela do computador.

É importante lembrar que há pontos positivos na teleducação mesmo quando falamos sobre o ensino infantil, já que a educação de qualidade e a aprendizagem ocorrem em muitos contextos diferentes. A vida doméstica pode oferecer oportunidades para os alunos se envolverem com a natureza, se relacionarem com a família, aprenderem a ter responsabilidade e se concentrarem na saúde social.

Embora as barreiras para a aprendizagem online incluam a falta de atividade social e a falta de preparação do aluno para ser um aluno autorregulado, ainda há uma série de medidas que professores, gestores escolares, alunos e pais podem tomar para apoiar aprendizagem eficaz.

Como funciona a teleducação?

Como funciona a teleducação?

É importante garantir que a transição da escola para a aprendizagem em casa seja baseada em evidências, tanto quanto possível.

Embora muitas das evidências sobre as melhores práticas venham do setor de ensino superior, os princípios baseados em evidências fornecidos aqui oferecem percepções úteis para os professores considerarem, particularmente em relação a quais aspectos da aprendizagem online são mais críticos para maximizar os resultados dos alunos e as experiências de aprendizagem.

Nos amplos campos da educação à distância e aprendizagem remota, existem vários referenciais teóricos e abordagens sugeridas correspondentes para ensinar alunos remotamente.

Existem semelhanças e evidências emergentes que apóiam o eficácia de componentes específicos da educação à distância. Evidências sobre o que funciona para alcançar os resultados dos alunos e o que os alunos e professores relatam como bem-sucedidos no ensino à distância podem ajudar a orientar os professores que enfrentam os desafios de fazer a transição de suas salas de aula da aprendizagem presencial para teleducação.

Princípios para uma teleducação de qualidade

Princípios para uma teleducação de qualidade

As evidências sugerem que a teleducação opera melhor como um sistema de componentes dinâmicos e inter-relacionados, que podem variar em termos de implementação por contexto.

Juntos, esses componentes promovem uma comunidade de aprendizagem que é impulsionada pela pedagogia e incorpora uma gama de atividades, o que permite uma entrega flexível.

Os componentes constituintes podem ser adaptados, combinados ou excluídos conforme necessário, por exemplo, em alguns casos, a aprendizagem individualizada pode não ser usada, ou as atividades de reflexão podem ser combinadas com alguma forma de colaboração entre os alunos.

O uso desse modelo permite que os professores personalizem suas entregas de conteúdo para atingir seus objetivos curriculares específicos.

Criticamente, no campo da educação a distância, existem três formas de interação amplamente reconhecidas como cruciais para o desenvolvimento: aluno-conteúdo, aluno-aluno, aluno-professor.

Essas formas de interação devem ser consideradas em cada etapa de planejamento do ensino online e devem ser incorporadas em cada componente delineado. Por exemplo, o conteúdo online pode ser entregue como um exercício colaborativo que envolve pequenos grupos de alunos em uma atividade projetada para gerar discussão em grupo, reflexão, bem como interação social. Dessa forma, os professores podem usar o modelo como um guia para considerar como os elementos constituintes da aprendizagem online podem funcionar juntos.

A importância da presença do professor na aprendizagem por teleducação

É evidente que a presença dos professores durante o curso, suas interações com os alunos e a qualidade dos vídeos apresentados são determinantes significativos para a conclusão do curso.

Muitos profissionais da educação online descrevem a importância da presença contínua e significativa do professor e do apoio aos alunos. Como o aprendizado online pode incluir atividades síncronas e assíncronas, é vital que os alunos saibam quando e como acessar o suporte de seu professor. Isso pode envolver:

  • Definir expectativas sobre quando o professor estará disponível e como ele pode ser contatado;
  • Liberar o acesso à programação das atividades dos alunos;
  • Fazer o agendamento de horários regulares com os alunos por meio de videochamadas;
  • Realizar publicações em fóruns de discussão online, com perguntas para os alunos responderem, por exemplo;
  • Publicar vídeos de atualização ou palestras;
  • Usar avaliações formativas frequentes para se manter atualizado com o progresso do aluno.

A importância da interação para uma aprendizagem colaborativa na teleducação

A aprendizagem colaborativa em ambientes online melhora a aprendizagem dos alunos mais do que a aprendizagem individual, mas para isso, a interação é essencial.

No entanto, a qualidade da interação é crucial, pois as evidências indicam que a interação dos alunos, sejam uns com os outros ou com o professor, não é uma panaceia, mas sim uma ferramenta a ser usada de forma adequada e conforme a atividade de aprendizagem específica dita. Ou seja, o uso forçado ou excessivo da interação em um formato online pode ser percebido negativamente pelos alunos e, portanto, as atividades interativas e o trabalho em equipe devem estar bem integrados na entrega do conteúdo de aprendizagem.

Embora existam muitas opções tecnológicas para fomentar a colaboração e promover a interação entre os alunos e com o professor, é importante utilizar opções que sejam mais adequadas às necessidades e capacidades de professores e alunos e considerar o que já está disponível e em vigor dentro de uma comunidade escolar.

Qualidade de ensino e tempo de conexão na teleducação

Nos últimos anos, os debates sobre o tempo diante da tela mudaram de um foco, da quantidade para a qualidade.

Anteriormente, a suposição dominante que orientava o conselho aos pais e profissionais que trabalham com crianças girava em torno dos danos potenciais que a tecnologia representa para as crianças.

Pesquisas recentes demonstraram que esse foco no risco e dano está desatualizado! Em vez disso, é mais apropriado considerar a qualidade do conteúdo e das interações que as crianças estão consumindo online.

Essa mudança de foco permite que uma orientação mais sutil seja dada aos pais e aos profissionais da educação, orientação que tem faltado devido ao foco estreito na mitigação de risco. Tanto professores quanto pais devem fazer as seguintes perguntas ao considerar o que seus filhos ou alunos estão fazendo online:

  • Qual é o contexto? Onde, quando e como o conteúdo digital está sendo acessado?
  • Qual é o conteúdo? A idade do conteúdo ou o nível de habilidade são adequados?
  • Que conexões estão sendo facilitadas? Como essa experiência online está facilitando (ou impedindo) conexões sociais positivas?
  • Qual é o impacto? A criança é fisicamente saudável com uma rotina de sono saudável? A criança está gostando de suas experiências digitais e continua a se envolver em hobbies e interações sociais com amigos e familiares?

Essas perguntas oferecem aos pais e professores uma estrutura para diferenciar entre o uso problemático e o normal da tecnologia durante este período de mudanças significativas na escolaridade.

É importante ressaltar que essas considerações são incorporadas aos princípios de aprendizagem online descritos acima. Ou seja, ao construir uma comunidade online que privilegia experiências autênticas e interativas entre: alunos, alunos e o professor, alunos e o conteúdo, os professores podem ter certeza de que o tempo que seus alunos passam online em casa contribuirá positivamente para seu aprendizado e bem estar.

Como os educadores podem ajudar os alunos e seus responsáveis a se adaptarem a teleducação?

Durante este período de transição para a aprendizagem em casa, o papel dos professores na comunicação com os pais para apoiar a aprendizagem dos alunos é mais crítico do que nunca.

Há uma infinidade de evidências relacionadas a este tópico, particularmente sobre o papel dos pais na educação de seus filhos e como construir relacionamentos positivos entre pais e funcionários da escola. Os pais ou responsáveis, juntamente com os professores, gestores escolares, funcionários da escola, colegas e a comunidade em geral, interagem de maneiras que influenciam o processo de aprendizagem da criança.

A pesquisa sugere que o envolvimento dos pais por meio do apoio de aprendizagem mais amplo fora da escola tem um impacto maior nos resultados acadêmicos do que o envolvimento dos pais em participação nas atividades formais e informais na escola.

O envolvimento dos pais na aprendizagem de uma criança consiste em atitudes, comportamentos e ações que fornecem oportunidades de aprendizagem fora da escola e vinculam o que as crianças aprendem na escola com o que acontece em sua comunidade e sociedade de forma mais ampla. As evidências indicam que os pais ou responsáveis ​​que estão envolvidos nos resultados de aprendizagem em casa podem facilitar uma mudança positiva no desempenho acadêmico das crianças, bem como no seu desenvolvimento e bem-estar.

As estratégias para envolver os pais ou responsáveis ​​têm mais probabilidade de ter sucesso quando os professores sabem como se comunicar de forma eficaz com os pais, onde funcionários dedicados da escola trabalham com os pais e onde há forte apoio dos gestores para este trabalho.

Comunicações contínuas, respeitosas e relevantes, e feedback construtivo e significativo são importantes para construir confiança e compartilhar objetivos de aprendizagem, sejam eles online ou pessoalmente.

Existem várias maneiras de facilitar a comunicação contínua e a construção de relacionamento além de encontros face a face, como por meio de e-mail, sites, blogs, podcasts e sites de redes sociais. Uma vantagem adicional é que essas plataformas online permitem que as informações sejam compartilhadas de forma mais eficiente e ampla.

O Projeto de Apoio à Aprendizagem Escolar descreve considerações para o envolvimento efetivo dos responsáveis, que podem ser amplamente aplicadas a todas as formas de comunicação que apoiam o ensino à distância:

  • Compartilhe mensagens importantes aos pais e responsáveis ​​sobre a escola e seus objetivos;
  • Ofereça workshops interativos usando softwares e salas de bate-papo para os pais e alunos;
  • Forneça produtos e recursos que os pais possam trabalhar por conta própria ou com seus filhos;
  • Vincule os pais aos recursos e publicações existentes;
  • Conecte os pais a outras organizações que têm a capacidade de fornecer suporte;
  • Tenha uma área com informações específicas sobre como os pais podem apoiar seus filhos.

Por meio de comunicação personalizada e conselhos direcionados, incluindo estratégias práticas para apoiar a aprendizagem em casa, os professores podem incentivar e permitir o envolvimento dos pais na educação à distância de seus filhos.

Além de garantir que o bem-estar dos alunos seja considerado durante o período das aulas, os pais e educadores precisarão monitorar os alunos online ainda mais do que os alunos presenciais.

As transições da escola para a casa aumentaram a dependência de plataformas de aprendizagem online e redes sociais, mas uma porcentagem considerável (33%) dos pais não se sentem confiantes sobre sua capacidade de gerenciar o cyberbullying.

Para os pais, a escola de seus filhos é a fonte mais relatada (56%) para orientação sobre cyberbullying, destacando o papel dos professores e gestores escolares no aconselhamento sobre esta questão. Isso indica que os pais precisam de apoio para diferenciar entre o uso potencialmente problemático da mídia digital e o uso normal.

O uso problemático pode ser caracterizado por mudanças no humor após a atividade online, mudanças na personalidade geral, estresse, problemas com trabalhos escolares, mudanças no sono, agitação, declínio na saúde física e comportamento online secreto. Mas, conforme citado anteriormente sobre a qualidade do tempo de tela, os pais e professores podem monitorar o bem-estar dos alunos em relação às experiências online.

Ajudar os alunos a construir resiliência digital por meio de conversas sobre conteúdos e experiências online e modelar comportamentos e valores digitais apropriados são efeitos potencialmente positivos da crescente confiança em softwares e plataformas online.

Gostou de saber mais sobre o que é teleducação e como funciona? Então saiba como automatizar o atendimento em Instituições de Ensino!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ligamos para você

Categorias: